Um mar de corrupção em São José de Ribamar, revela Operação da PF

0

A Operação “ÁGIO FINAL”, realiza nesta quinta-feira (3) pela Polícia Federal, desarticulou uma grande associação criminosa pela  pratica de corrupção, extorsão e formação de quadrilha, com recursos federais nas contas da prefeitura de São José de Ribamar.

A investigação teve início a partir de denúncia apresentada pelo prefeito Eudes Sampaio (PTB) à Procuradoria da República no Maranhão (PR/MA) informando diversas ameaças sofridas ao longo de 2020, por um grupo de lobistas e agiotas que exigiam pagamentos de parte dos recursos públicos federais destinados ao município, sob o pretexto de ter influído na destinação das verbas.

As extorsões eram realizadas de forma ostensiva, com episódios de invasão a residência do gestor e intermediação com terceiros, de modo a conferir maior pressão para o pagamento dos valores exigidos.

Josival Cavalcanti da Silva, conhecido como “Pacovan” é um dos presos na Operação, Eudes Sampaio disse que Pacovan e seu grupo estariam lhe ameaçando até de morte caso não pagasse 30% de um recurso aproximado de R$ 5 milhões da Saúde, dinheiro esse que está na conta da prefeitura de São José de Ribamar.

Eudes disse a Policia Federal que não fez nenhum acordo com “Pacovan” e tampouco pediu repasses financeiros extras na área da Saúde para sua gestão sob a contrapartida de devolver parte desse recurso ao agiota, em forma de proprina.

O prefeito derrotado nas urnas destas eleições municipais e que assumiu o comando da cidade balneária após a renúncia de Luís Fernando em março de 2019, ainda deverá dar muitas explicações sobre como a cidade de São José de Ribamar, chegou a ser esse verdadeiro centro de corrupção.

Fonte: Tribuna98

Share.

Comments are closed.