PF e MP na cola da Máfia do Lixo

0
Inúmeros indícios de fraude na contratação e licitação da SLEA, além de supostos pagamentos de propinas, falta de transparência, ausência de fiscalização, além de uma empresa prestando serviço no lugar de outra que havia vencido o certame. Irregularidades essas, denunciadas pelo blog.
Incessantemente a Polícia Federal e o Ministério Público vêm trabalhando para desarticular  e indiciar os envolvidos da “Máfia do lixo”, principalmente uma das empresas envolvidas, a SLEA (São Luís Engenharia Ambiental) ligada ao grupo Queiroz Galvão, que é a principal envolvida nas inúmeras falcatruas junto à prefeitura de São Luís, no que tange o gerenciamento dos resíduos sólidos de São Luís. De acordo com as leis, os envolvidos poderão ser presos.
Nenhuma nota à imprensa foi emitida, a Prefeitura de São Luís silenciou sobre o caso. As denúncias chegaram à Câmara de Vereadores e resultaram no pedido de impeachment do prefeito Edvaldo Holanda.
Mesmo com tamanha repercussão, o silêncio imperou!
Contudo, algumas perguntas ainda precisam ser respondidas. Como a SLEA assinou um contrato bilionário sem sequer ter participado do processo de licitação? E se ouve auditoria instalada por Edvaldo, por que o contrato com a SLEA não foi suspenso imediatamente com a constatação da irregularidade? Em contrapartida, Edvaldo manteve o contrato de R$ 3 bilhões que permite a SLEA “comandar” o lixo da capital durante 20 (vinte) anos.
Providências precisam ser tomadas para penalizar todos os envolvidos. Inúmeras denúncias foram divulgadas pelo blog ilharebelde.com, no entanto, todos os envolvidos continuam impunes.
Share.

Comments are closed.