O Coringa brasileiro “Made in Maranhão”

1

Ele largou o poder da toga preta para entrar na política com a missão de ser um verdadeiro herói. Abandonou a estabilidade do cargo de juiz federal para percorrer o estado, garimpar votos, lançando-se ao julgamento implacável do povo maranhense.

O seu discurso no início, era acabar com “50 anos de atraso”, fruto de governos consecutivos de aliados do principal oponente, promovendo uma mudança radical, quase que extraterrestre na política do seu estado.

Nos primeiros anos (2014 – 2018), com a “casa ainda bagunçada”, disse que recebeu o governo do estado com um rombo de 1,1  bilhão de sua antecessora Roseana Sarney. Foi então que a máscara começou a cair e nesses mesmos quatro anos, aumentou 3 vezes o ICMS, produzindo um efeito nefasto no contribuinte maranhense. Pra se ter uma ideia do montante, em janeiro e fevereiro de 2019, fruto desses aumentos sucessivos , o seu governo arrecadou a bagatela de 1 bilhão de reais.

Confira aqui:

https://imirante.com/oestadoma/noticias/2019/03/22/em-2019-maranhense-paga-31-a-mais-de-icms-que-em-2015/

Retornando ao primeiro reinado, ops! mandato, ele iniciou uma verdadeira caça às bruxas contra a família Sarney – de quem nutria ódio mortal até o ano passado – retirando de todo e qualquer espaço público que pudesse, nomes ou pessoas que tivessem o sobrenome dessa “oligarquia”, que teria “destruído por décadas o Estado”.

Em nome da ânsia pelo poder, esse ódio todo se transformou em amor platônico e, então o maior oligarca dos discursos acalorados – o ex-presidente José Sarney – foi procurado humildemente, para uma inacreditável (quem diria?) “aliança histórica pelo Brasil em 2022”. 

Deve-se registrar aqui, que o patriarca do Clã, foi o principal consultor de quase todos os ex-presidentes da República que o sucederam, e até hoje com quase 90 anos de vida, é um grande estadista e intelectual, respeitado no País e lá fora.

O governador do Maranhão queria mais, queria luz, câmera, ação, pão e circo! Com isso, ao longo de todo o processo de Impeachment de Dilma Rousseff, vestiu novamente a bata preta  – só que agora de juiz imaginário – postando-se na frente dos holofotes globais, para ganhar os seus 15 minutos no Jornal Nacional.

Sua defesa em prol do Governo Dilma foi brilhante, quem não lembra daquele seu discurso no Salão Nobre do Planalto na presença de notáveis como ministros, deputados, senadores e membros do alto clero de grandes partidos políticos que apoiavam a ex-presidenta. Uma pena que a cineasta Petra Costa não o tenha posto em “Democracia em vertigem” (indicado ao Oscar) , talvez por perceber que a democracia dele naquele momento estava era “em transe”.

Reveja aqui:

https://colunaesplanada.blogosfera.uol.com.br/2016/05/10/maranhao-paga-voos-de-jatinho-de-dino-para-defender-dilma/

e aqui:

http://g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/2015/12/flavio-dino-fala-em-golpe-e-defende-que-nao-ha-razao-para-impeachment.html

O fato mais pitoresco de todo esse processo no qual o governador maranhense lá atrás já buscava um protagonismo nacional, foi quando ele negociou a anulação do Impeachment com o ex-presidente da Câmara Waldir Maranhão (Avante), por uma das duas vagas do senado em 2018. Waldir crente que ele  teria validade, anulou todo o processo e, quando viu-se abandonado pelo governador  e por Eduardo Cardozo ( ex-ministro da Justiça), revogou a própria anulação (para não perder o mandato), virando chacota nacional.

Em 2018, novamente a máscara do sem-palavra caiu e, no último segundo, o governador do Maranhão, além de não cumprir o acordo que fez com o Waldir (com força do cargo e com Lula já preso), o impediu de filiar-se no Partido dos Trabalhadores. Uma traição imperdoável, daquele que queria ser herói, lá no comecinho desse texto.

O mais interessante é que o comunista, ao longo já de 5 anos no comando do estado mais pobre do País, vem fazendo tudo aquilo que condenava em seus discursos de campanha.

Não esqueçamos  dos aluguéis camaradas. Reveja aqui:

https://www.blogsoestado.com/danielmatos/2017/01/04/predio-alugado-por-flavio-dino-para-abrigar-funac-na-aurora-pertence-membro-do-pcdob/

Nem da sorveteria que virou “Serviços médicos”. Reveja aqui também:

https://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/sorveteria-virou-servicos-medicos-em-fraude-milionaria-da-saude-no-maranhao-diz-pf/

Tampouco das locações de jatinhos e aviões. Reveja aqui:

https://www.blogdobg.com.br/governo-do-comunista-flavio-dino-no-maranhao-ja-pagou-r-23-milhoes-de-locacao-de-jatinhos-e-avioes/

Que tal das licitações da Secretária Assuntos Políticos e Comunicação – SECAP. Reveja aqui:

https://ricardofonseca.tumblr.com/post/188219429426/suspeita-de-fraude-na-secap-do-governo-comunista

e aqui:

https://ricardofonseca.tumblr.com/post/176091719511/exclusivo-lamban%C3%A7a-do-governo-do-ma-na-licita%C3%A7%C3%A3o

Lembremos da fartura de banquetes e coquetéis. Reveja aqui:

https://www.blogsoestado.com/danielmatos/2019/03/26/fartura-nos-leoes-so-com-coqueteis-flavio-dino-gastara-mais-de-r-6-milhoes/

São tantas as “Obras” listas  do comunista, que mais se parecem com “Capitalismo Selvagem” (não aquele da música Homem Primata dos Titãs), mas o do próprio Karl Marx (Pai do Socialismo Científico) e, nada tem a ver com a “justiça Social”, proferida como clichê em seus discursos até hoje.

Ele queria mais, em fevereiro de 2019 já reeleito e em plena penaria do PCdoB na Assembléia Legislativa do Maranhão, ele anunciou que estava até “5 kg mais magro para concorrer ao Planalto em 2022”. Essa declaração indignou o ex-presidente Lula que ainda estava preso  e nem se quer havia sido consultado, assim como dirigentes nacionais importantes do PT.  Começava aí uma fissura entre o queridinho do saudoso jornalista Paulo Henrique Amorim (que foi o primeiro a lançá-lo a presidente) e o maior partido da esquerda brasileira.

Há de ser registrar que, o nobre governador transformou o PT do Maranhão num partido nanico (quase um puxadinho do Palácio dos Leões), que elegeu apenas um vereador, um deputado estadual e um federal. Pasmem! no estado que mais contribuiu proporcionalmente para a reeleição de Dilma em 2014, com 78,76% dos votos.

No apagar das mesmas luzes de 2019, fez uma reforma da previdência relâmpago, sem a participação popular e aumentou em 3% o imposto do milho, Soja, Sorgo e Milheto, deixando o agronegócio furioso e quase inviável. 

A fome de poder só aumenta a cada ano e, logo no primeiro dia de 2020 (procurando novamente um protagonismo nacional), plantou uma notícia na coluna do jornalista Ricardo Noblat da VEJA, que o catapultou a vice de Luciano Huck numa chapa fantasiosa, desmentida única e exclusivamente por nós 3 antes dos 6 dias de péssima repercussão nacional e, da própria desmentida dele num jornal local.

Reveja aqui:

https://ricardofonseca.tumblr.com/post/190123943921/o-dino-j%C3%A1-era-saiu-pela-culatra-parte-iii

Depois dessa nota, o aspirante a presidente passou dos limites e, de uma “cajadada só”, se queimou definitivamente com a esquerda e a direita ao mesmo tempo. Só restando o centro como única tábua de salvação para a realização do grande sonho. Só tem um detalhe, Ciro Gomes (hoje seu amigo de infância) assim como o PDT (aliado de primeira hora do seu governo), nunca foram de centro, o máximo que conseguiram chegar perto foi ser muro mesmo.

Existe uma distância muito grande entre ser um estadista de fato e um simples governante de direito na corrida para alicerçar um caminho sólido rumo a Presidência da República. 

Um estadista busca meios e/ou mecanismos baseados em obras estruturantes para encantar os seus eleitores e garimpar votos . Um simples governante busca todo e qualquer meio para atingir de qualquer forma os seus objetivos, nem que para isso passe por cima até do próprio orgulho  e se rebaixe para o seu oponente. 

Contudo acima exposto, deixo para a platéia o verdadeiro e maciço julgamento de valor. 

afinal, quem é esse herói digno de confiança que possa concorrer nem que seja a vice numa chapa presidencial? Ou qual seja, esse famoso anti-herói das telonas no início de sua decadência, buscando incessantemente um pouco mais 15 minutos de má fama?

Quem é o verdadeiro Coringa brasileiro? 

Por Ricardo Fonseca

Share.

1 comentário

  1. Zé Carlos on

    Coloca isso em vídeo redução..tem melhor visão. Logo destribuicao.