Milagre? Assessor de Edivaldo, suspeito de beneficiar ‘máfia do lixo’, tem patrimônio de quase R$ 1 milhão

0

O assessor técnico Ronalldo Lopes Lima, que seria o “braço operacional” da Prefeitura de São Luís nas negociações que visam acelerar pagamentos aos prestadores de serviço, incluindo a empresa São Luís Engenharia Ambiental (SLEA), entrou no radar da série “Reciclagem” — produzida pelos blogs do Neto Cruz, César Durans e Ilha Rebelde —, em parceria com o site Maranhaodeverdade.com porque, segundo informações com base em documentos oficiais, ele é suspeito de ostentar um patrimônio “completamente incompatível” com o salário de pouco mais de R$ 6 mil mensais, que recebe no cargo público.

Em seis anos, o patrimônio de Ronalldo Lima — nomeado no cargo no dia 04 de janeiro de 2013 — multiplicou sem acompanhar, em lógica, o salário que recebe na prefeitura, conforme levantamentos feitos pela reportagem em cartórios e dados do sistema de consultas do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MA).

Os documentos obtidos dão conta que o servidor municipal possui “carros caros”, entre eles, uma SW4 preta, de placa PTF/1427, avaliada em mais de R$ 260.000,00 (duzentos e sessenta mil reais); um Honda Fit de placa OXR/6752 e um HB20 de placa PSL/5453, além de imóveis em localidades de luxo na capital maranhense, como uma casa no Condomínio Mediterrâneo, no Jardim Eldorado, avaliada em R$ 600,00 (seiscentos mil reais).

A incompatibilidade no patrimônio de Ronalldo com seus rendimentos, salta aos olhos, e levantam suspeitas de fraudes em licitações e contratos, além de pagamentos de propina na gestão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) e agiotagem. Constata-se que o patrimônio do assessor perpassa a bagatela de um milhão de reais, embora o salario bruto seja apenas R$ 9.000,00 (nove mil reais), e líquido fica R$ 6.929,00 (seis mil, novecentos e vinte e nove reais), por conta dos descontos de imposto de renda e INSS.

É oportuno ressaltar que, em março do ano em curso, o vereador Beto Castro (PROS), ocupou a tribuna da Câmara Municipal de São Luís justamente para denunciar um suposto esquema de pagamento de propina na gestão pedetista. Inúmeras informações estão sendo checadas, evolvendo, não apenas Ronalldo Lima, mas alguns parentes próximos do prefeito, no caso seus primos.

Uma das informações dão conta da aquisição de cotas societárias de uma grande escola da rede particular de ensino na capital. Além disso, os dados apontam uma verdadeira sangria aos cofres públicos, cuja soma ultrapassam a casa dos R$ 300,000 (trezentos milhões de reais) ao longo de seus seis anos de gestão.

PROPINA DO LIXO

Uma das suspeitas de irregularidades envolve, por exemplo, o contrato de parceria público-privada que permitiu à empresa SLEA – São Luís Engenharia Ambiental, o gerenciamento da limpeza urbana e destinação de resíduos sólidos da capital maranhense por 20 anos, mesmo sem ter participado da licitação.

Relatório de despesas disponíveis ao público no Portal Transparência, traz dados assustadores sobre empenhos de pagamentos na gestão Edivaldo. De acordo com os documentos disponíveis no site oficial do município, somente no mês de janeiro deste ano, a prefeitura pagou à SLEA, empresa ligada a máfia do lixo, a bagatela de R$ 30,7 milhões, montante equivalente a um prêmio da “Mega-Sena”, o que reforça ainda mais os indícios de pagamento de propina.
Os dados públicos e oficiais comprovam outra ilegalidade, além do suposto esquema de propina: tudo indica que os pagamentos à empresa de coleta podem ter sido realizados antes mesmos do Executivo Municipal obter a autorização legislativa, por meio do Projeto de Lei 055/2019 – aprovado em março deste ano –, para legalizar um suposto Termo de Reconhecimento de Dívida.

MILAGRE DA MULTIPLICAÇÃO

Se os órgãos de controle, como Ministério Público, Tribunal de Contas do Estado, Câmara Municipal, Polícia Judiciária e a própria Justiça não conseguirem explicar o ‘milagre da multiplicação’ de Ronalldo Lima, que mesmo auferindo R$ 498.888,00 (quatrocentos e noventa e oito mil e oitocentos e oitenta e oito reais) referentes aos seus vencimentos dos últimos 72 meses, possui um baita patrimônio, talvez possamos encontrar explicações em duas passagens bíblicas nos livros de Mateus 14:19 e Marcos 6:39, que falam exatamente do milagre de Jesus na multiplicação dos pães e peixes.

QUEM É ELE?

Filho de Ivone Lopes Lima e Manoel Pereira Lima, Ronalldo Lopes Lima, nasceu em São Luís, no dia 14 de março de 1980. Antes de ser nomeado na prefeitura ludovicense, ele trabalhava como gerente da loja Limol, de propriedade da família e em seguida chegou a ser nomeado na Câmara Federal no cargo em comissão de secretário parlamentar no gabinete do então deputado Edivaldo Junior, atual prefeito.

O assessor técnico é cunhado do empresário Igor Bandeira de Freitas Costa, primo do prefeito de Edivaldo Júnior. Igor Bandeira é proprietário da Invictta Comercio e Serviços Eireli – EPP, empresa que possui mais de doze contratos no valor de R$ 7,4 milhões apenas nos municípios de São Luís e Barreirinhas.

O pai de Ronaldo, o senhor Manoel Lima, era presidente do PTC no Maranhão, partido por onde o prefeito Edivaldo foi eleito para seu primeiro mandato, em 2012. Além do patrimônio incompatível com seus salario, Ronaldo que recebe pouco mais de R$ 6 mil reais, fez em 2014, uma doação de campanha para um deputado federal no valor de R$ 10 mil reais. Os detalhes iremos revelar na próxima matéria. Aguardem!

Share.

Comments are closed.