Mais de 500 pessoas em situação de vulnerabilidade social são atendidas pelo call center montado pela Prefeitura de São Luís

0

Na  primeira semana de funcionamento da Central de Atendimento Telefônico criada pela Prefeitura de São Luís para atender as pessoas em situação de vulnerabilidade social, mais de 500 atendimentos foram realizados. O call center, um canal da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), é uma das estratégias criadas por determinação do prefeito Edivaldo Holanda Junior para dar continuidade ao atendimento às pessoas em risco social e econômico, após a suspensão do serviço presencial nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras). O atendimento da central telefônica funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h pelo número (98) 2108- 5900. 

“Diante da pandemia do coronavírus o prefeito Edivaldo montou um plano de contingência que contempla todo o público, com uma atenção especial para o  assistido pela política da assistência social, que inclui as famílias beneficiadas pelo programa Bolsa Família, idosos, pessoas com deficiência, entre outros. Como política essencial que acompanha os mais vulneráveis não podemos parar os serviços da assistência”, explicou a gestora da Semcas, Andréia Lauande.  

Entre as demandas solucionadas pela central estão orientações sobre o Cadastro Único (CadÚnico), esclarecimentos sobre bloqueios, desbloqueios e cancelamentos do programa Bolsa Família e do Benefício de Prestação Continuada (BPC), entrega de cestas básicas para pessoas acompanhadas pela Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI) e Medidas Socioeducativas (MSE) e Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), indicação a respeito de acolhimento institucional, Benefício Eventual de Moradia, etc. 

Também estão disponíveis os telefones corporativos das coordenadoras de Cras e Creas para esses casos. Os números podem ser encontrados pelo endereço virtual do site da Prefeitura de São Luís www.saoluis.ma.gov.br, na subpágina da Semcas.

Vilma Barbosa, 30 anos, dois filhos, desempregada, atendida pelo Cras Turu, entrou em contato para solicitar auxílio de cesta básica. Vilma conversou com a equipe de reportagem por telefone. “Meu marido sofreu um acidente de moto há 10 dias, e sem poder trabalhar ficamos com dificuldades. Quando entrei em contato eles pediram que eu aguardasse até a providências serem tomadas e no dia seguinte eu recebi o auxílio, eu agradeço muito”, desabafou Vilma.

“Nossas ações continuam, só que agora de forma diferenciada. Nas situações emergenciais equipes específicas vão até o local, como de idosos que vivem só e nos acionam por precisar de algum tipo de auxílio. Por isso, o call center é essencial, são pessoas que na sua maioria, estão em risco em função das fragilidades que vivenciam, como a extrema pobreza”, concluiu a secretaria Andréia Lauande.

AÇÕES

Além do call center, a gestão do prefeito Edivaldo mantém outras ações contempladas pelo plano de contingência implantado em decorrência do novo coronavírus. Uma das medidas adotadas pelo prefeito Edivaldo foi a ampliação do atendimento que a Prefeitura de São Luís presta à população em situação de rua. Para isso, foram montados mais dois abrigos temporários. Um na Vila Luizão e, por meio de uma parceria com o Governo do Estado, foram disponibilizadas mais vagas em um abrigo montado no Estádio Castelão. 

Os abrigos temporários ampliam o trabalho já realizado nos dois Centros de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua (Centro Pop) mantidos pelo município. Nos abrigos, além de receber kits de higiene pessoal e alimentação, esta população agora conta também com o serviço de triagem médica para a identificação de possíveis casos da doença. As pessoas em situação de rua que testarem positivo para a Covid-19 serão transferidas para as unidades provisórias de acolhimento que comportem o isolamento. 

Share.

Comments are closed.