Conheça as principais plantas daninhas do Nordeste e como controlá-las

0

Conforme registrou no boletim meteorológico no Giro do Boi da última sexta, dia 10 (veja link abaixo), as chuvas ainda continuam a cair sobre boa parte do interior do Nordeste neste mês de abril. A notícia é boa para o produtor rural porque oferece reforço para a produtividade de suas culturas, como o próprio pasto, e também porque ainda abre uma janela para a aplicação de defensivos para o controle de plantas daninhas.

Nesta quarta, dia 15, a engenheira agrônoma Talita Farias falou quais são as principais plantas daninhas que se espalham pelas pastagens do Nordeste, sobretudo norte do Maranhão e Piauí como um tudo, locais em que atua como representante comercial da Corteva Agriscience por meio de sua empresa, a Farias e Sousa Representações.

“A gente tem observado nos últimos dias chuvas intensas aqui no norte do Maranhão, é uma característica da região, e também a gente observa esta chuva ainda no Piauí. E é ideal para a aplicação de herbicidas”, reforçou a especialista.

Talita citou quais são as principais plantas que competem com o pasto em sua área de atuação, que são cipó mucunã, chumbinho, juruparana, lacre e rasga gibão. Segundo a agrônoma, estas plantas representam o principal gargalo da produtividade de pasto na região.

“Nas propriedades que eu tenho visitado, alguns produtores ainda têm um pouco de resistência na utilização de tecnologia para o controle de plantas daninhas e eu observo que para uma boa produção de pastagem, do meu ponto de vista, o principal desafio é o controle de plantas daninhas, é a eliminação da competição. (As plantas) Têm um sistema radicular altamente agressivo e é necessário que se elimine esta planta daninha que vai competir por espaço, luz, por água, por nutriente. Desta forma (com infestação), a gente não consegue produzir uma boa massa foliar, então o principal gargalo é o controle de plantas daninhas. São áreas com altas infestações, plantas extremamente agressivas”, frisou Talita.

A agrônoma destacou a satisfação dos produtores que utilizam a linha de defensivos da Corteva para o controle destas plantas daninhas, com resultados surpreendentes a partir dos produtos da linha XT, que faz o controle foliar inclusive das chamadas plantas duras, as lenhosas e semilenhosas. “É satisfatório ver o resultado da fazenda e também ver alegria do produtor em ver o pasto limpo e produtivo”, celebrou.

(Giro do Boi)

Share.

Comments are closed.