Abandonado a própria sorte, Ronalldo Lopes pode contar tudo que sabe

0

Suspeito de ostentar um patrimônio incompatível com salário, o assessor técnico da Prefeitura de São Luís, Ronalldo Lopes Lima, estaria contrariado e com a sensação de “abandono”, por parte das principais lideranças da Câmara Municipal e do Palácio de La Ravardière, com quem convivia até a semana passada.

O esquema de corrupção envolvendo Ronalldo vem sendo denunciado desde segunda-feira (22), pelo site Maranhaodeverdade.com em parceria com os blogs do Neto Cruz, César Durans e Ilha Rebelde, e pode levar para cadeia vários figurões do governo Edivaldo Júnior (PDT). Entre outras irregularidades, a cobrança de propina, segundo empresários, estaria sendo praticada, e o percentual correspondia entre 20 a 30% do valor devido pelo poder público às empresas que prestam serviços ao município.

Segundo pessoas próximas ao suposto ‘operador’, que estiveram com ele nestes últimos dias, preocupado com seus familiares, Ronalldo estaria se alimentado pouco e visivelmente abatido. Ele também teria sinalizado estar magoado com o tratamento recebido das principais lideranças do governo, com quem tinha “trânsito” antes do caso vir à tona.

Ronalldo é mais um dos que segue roteiro que já se tornou usual nos escândalos envolvendo o governo municipal. Encrencado, suspeito de ser uma espécie de “braço operacional” do prefeito Edivaldo Júnior, Ronalldo estaria esperando obter a solidariedade dos “amigos” e “companheiros”, o que não estaria acontecendo.

Ao sentir-se abandonado, ele teria passado a semana intensificando as articulações visando uma blindagem, e procurado vários aliados ligados ao chefe do executivo, tentando parar a pressão sobre sua pessoa. No entanto, a tentativa foi em vão, uma vez que ele é uma espécie de cadáver em putrefação, que já começar a exalar mau cheiro nos corredores do Palácio de La Ravardière.

Desesperado e temendo ser ‘enterrado’ pelo forte odor das graves denúncias, enquanto para alguns amigos, o suposto ‘operador’ já estaria mandando recados e ameaçando contar alguns “segredinhos”, para outros, Ronalldo estaria afirmando não entender o porquê de ser alvo das denúncias, já que garante não ter cometido qualquer ilegalidade, embora não consiga explicar se a evolução patrimonial é fruto do recebimento de herança ou prêmio da mega sena, loto fácil ou loto mania.

Para aqueles mais próximos, os movimentos teria o ritmo da chantagem, feita por alguém que espera obter proteção. E foi usando essa estratégia, que Ronalldo teria procurado neste sabado(27), o suplente de deputado Edivaldo Holanda, pai do prefeito Edivaldo, supostamente para pedir ‘apoio’.

Certamente, Ronalldo esperou ter dessa vez o mesmo tratamento de outrora. Há alguns anos, ele teria entrado no radar da Polícia Judiciária, durante investigação sobre crime de agiotagem, mas atendendo pedido de pessoas influentes, teria sido esquecido e retirado do olho do furacão. Na Secretaria de Segurança Pública ninguém confirma a veracidade dessa informação.

Enquanto tenta se articular no governo, Ronalldo também busca apoio da oposição. Na última sexta feira, ele foi visto com um deputado federal da oposição, que também seria sócio dele, buscando o mesmo objetivo. O deputado possui fortes ligações com membros do Poder Judiciário, e ao que tudo indica, o desespero é de saber que prisão pode ser uma questão de tempo.

SUSPEITO DE COMANDAR O ESQUEMA DE PROPRINA

Segundo a reportagem apurou, após entrevista com prestadores de serviço, apontado nos bastidores como “homem de confiança” do prefeito Edvaldo Júnior, Ronaldo Lima seria o responsável em procurar os empresários, cobrar o percentual dos prestadores de serviço e, ainda, receber o pagamento. “Aqueles que não aceitam a proposta feita por ele, ficam sem receber. Alguns colegas, inclusive, tiveram que pedir falência ou entraram com ações de execuções contra a Prefeitura de São Luís, por não aceitar pagar “, revelou o denunciante.

Conforme o depoimento de outro empresário, que não quis ter o nome divulgado temendo represarias, para não fechar as portas, teve que “precisar molhar a mão de alguém” para receber seus pagamentos. “Essa prática vem sendo exercida por essa corja, que está saqueando os cofres públicos, sem que nenhuma autoridade constituída tome providências. Infelizmente, para não fecharmos as portas, estamos sendo obrigados a nos submeter a tal situação, pois além de termos que cumprir com o contrato, com gasto com mão de obra humana e material, temos que devolver um dinheiro que é nosso por direito”, desabafou outro denunciante indignado.

Os relatos dos empresários ouvidos pela reportagem destacam os caminhos por onde o Ministério Público e a Câmara Municipal (dois dos principais órgãos de controle para apurar irregularidades) podem percorrer para iniciar uma investigação ou CPI sobre o beneficiamento de empresas, basta realizar um cruzamento no portal da transparência da Prefeitura para descobrir quais os fornecedores estão com seus pagamentos em dias.

“O Portal da Transparência consta todos os fornecedores que prestam serviços ao município. É hoje a principal ferramenta para ajudar a revelar mais detalhes sobre o caso. Basta acessa-lo para tomar conhecimento de quem foi ou não beneficiado ou de quem está ou não em dias com seus pagamentos”, contou.

TRANSPARÊNCIA

Com base no depoimento dos empresários, a reportagem realizou um levantamento junto ao site oficial pelo qual o cidadão pode acompanhar e fiscalizar a aplicação dos recursos públicos e informações sobre receitas e despesas, e constatou que enquanto alguns prestadores de serviço não receberam nenhum pagamento por parte da prefeitura, outros não tem do que reclamar. É o caso, por exemplo, da SLEA – São Luís Engenharia Ambiental, empresa ligada à máfia do lixo, que recebeu mais de quatro pagamentos num único mês que ultrapassam a bagatela dos R$ 46 milhões, conforme documentos em anexo.

Outra prestadora de serviços com seus pagamentos em dias é a Clasi Segurança, do empresário Pedro Ricardo Aquino da Silva, conhecido como “Cachorro Doido”, que é um dos vários primos do prefeito Edvaldo Holanda Júnior que possui negócios com o executivo municipal. Lotado na Secretaria Municipal de Projetos Especiais (Sempe), o assessor técnico Ronalldo Lopes Lima, apontado como o operador das propinas, seria sócio oculto do empresário Pedro Ricardo. Nos documentos obtidos pela reportagem, a Clasi aparece com pagamentos que variam entre R$ 25 a R$ 400 mil.

A partir de amanha, o alvo da série envolvendo figurões do Executivo Municipal e com forte influência dentro da gestão, serão os empresários Pedro Ricardo Aquino e Igor Bandeira de Freitas Costa, ambos primos de Edivaldo Júnior. Evidenciaremos que Pedro Ricardo possui nove empresas, que serão detalhadas, e outras coisinhas mais, já Igor Bandeira, assim como Ronalldo Lima, também é assessor da Prefeitura, e sócio na empresa Invicta Conserv Eirelli, que também possui vários contratos com a Prefeitura de São Luís e o município de Barreirinhas. Aguardem!

Share.

Comments are closed.